Contudo, diante do indicador de março, que registrou alta de apenas 1,1% na produção da indústria paulista ante fevereiro, o diretor do Departamento de Pesquisas Econômicas da federação, Paulo Francini, classificou a trajetória da indústria neste ano de "titubeante".

"Também houve alta no INA em janeiro e depois queda em fevereiro. Não dá para dizer que a indústria levantou voo. Quando há sinais de recuperação, eles alternam no mês seguinte", afirmou.
GO: (62) 3250-0707 GO (62) 9 9644 0139 Horário Comercial

Primeiro trimestre foi razoável para a indústria de SP, diz Fiesp

Nos três primeiros meses do ano, a indústria paulista registrou alta de 2,4% na atividade em comparação com o acumulado do mesmo período do ano passado. O desempenho, apurado pelo Indicador do Nível de Atividade (INA) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), foi classificado pela entidade como "razoável".

Contudo, diante do indicador de março, que registrou alta de apenas 1,1% na produção da indústria paulista ante fevereiro, o diretor do Departamento de Pesquisas Econômicas da federação, Paulo Francini, classificou a trajetória da indústria neste ano de "titubeante".

"Também houve alta no INA em janeiro e depois queda em fevereiro. Não dá para dizer que a indústria levantou voo. Quando há sinais de recuperação, eles alternam no mês seguinte", afirmou.

A instabilidade de crescimento que a indústria vem apresentando em 2013 também é notada em relatório divulgado hoje pelo HSBC. Segundo o Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do banco, em abril deste ano a indústria nacional registrou o pior crescimento dos últimos seis meses, dando sinais de desaceleração.

Segundo informa o documento do banco, o crescimento menor de abril pode ser creditado à queda nas exportações, a primeira desde novembro de 2012.

Na avaliação de Andre Loes, principal economista do HSBC no Brasil, o resultado da pesquisa, realizada mensalmente com executivos de 400 empresas industriais, mostra que após um bom início de ano para a economia o ritmo vem diminuindo durante o primeiro trimestre. "Este é mais um sinal de que a recuperação econômica em 2013 é ainda modesta", diz Loes no relatório.

Após os dados de março, a previsão da Fiesp é que o INA registre em 2013 alta de 3,2% ante o ano anterior. No mês passado, a estimativa da federação era de que o indicador do ano ficaria em crescimento de 2,3%. Para a indústria brasileira, segue a previsão de alta de 2,5% para este ano.

Fonte: Folha de S.Paulo



Conteúdos relacionados